2º Domingo do Advento: “Jesus vem na simplicidade do mais profundo amor e doação à humanidade”

A vinda de Jesus para morar no meio da humanidade é descrita pelos evangelistas como sendo em um período muito concreto. Por isso, a citação que encontramos dos governantes e dos líderes religiosos do mundo conhecido de então. Lucas apresenta uma lista destes personagens para indicar o início da pregação de João Batista que prepara a vinda de Jesus. A missão de João Batista era a de realizar o batismo de conversão, que significa deixar para trás a vida de pecado e abraçar a vontade de Deus. No Evangelho deste Domingo, vemos João que percorre a região do Rio Jordão sendo reconhecido como verdadeiro profeta.

Lucas faz menção do escrito do Profeta Isaías (cf. Is 40,3-5) para “preparar o caminho do Senhor”, pois entende que João Batista prepara a ação messiânica de Jesus que vem para salvar a humanidade. É a mesma ideia que encontramos na segunda leitura tirada da carta aos Filipenses quando lemos “que o vosso amor cresça sempre mais” e “assim ficareis puros e sem defeito para o dia de Cristo… cheios do fruto da justiça”. Esta ideia faz referência à segunda vinda de Cristo, já glorioso, que vem salvar o seu povo. Contudo, quando a lemos na preparação do Natal, é sempre um convite à conversão e à retribuição ao grande amor de Deus e de Jesus pela humanidade. Aliás, um amor incomensurável que justifica muito mais a vinda de Jesus do que simplesmente para apagar nossos pecados.

Na primeira leitura vemos o profeta Baruc convidando o povo de Jerusalém para alegrar-se no Senhor, pois foi Ele que acompanhou o seu povo no exílio e agora o fez retornar para a sua terra. Aqui coincidem os apelos dos profetas: preparar o caminho do Senhor. Baruc faz referência ao Senhor que acompanha sempre o seu povo e não o abandona nos momentos de sofrimento; Isaías, citado e vivido por João Batista, faz referência ao Messias que vem salvar o seu povo e construir o Reino de Deus.

Endireitar e aplainar os caminhos, rebaixar os montes e aterrar os vales, tudo é compreendido como ter uma vida centrada na vontade de Deus, sem buscar caminhos tortuosos, abismos sem saída, altas ideologias ou doutrinas que nos fazem distanciar d’Ele.

Jesus vem na simplicidade do mais profundo amor e doação à humanidade, para que em todos os tempos os filhos e filhas de Deus o reconheçam como salvador, companheiro de viagem neste mundo e, iluminados pela sua presença, coloquem-se a serviço do Reino agindo profeticamente.

Frei Valmir Ramos, OFM

Outras Postagens

Deixe uma resposta

Início