Santa Sé na ONU: “Combater fluxos financeiros ilícitos, que tornam os pobres mais pobres”

O Observador Permanente da Santa Sé na ONU, Dom Bernardito Auza, defendeu maior operação internacional para combater os fluxos financeiros ilícitos


Cidade do Vaticano – As receitas ilícitas obtidas do trabalho forçado e da exploração sexual chegam anualmente aos US $ 150,2 bilhões. Já aquelas advindas do tráfico humano, somam 1,2 bilhão. As cifras foram citadas por Dom Bernardito Auza, Observador Permanente da Santa Sé na ON,  no discurso por ocasião do encontro sobre cooperação internacional para combater os “fluxos financeiros ilícitos”, realizado em 16 de maio.

Ilícitos e crimes 

No contexto global, o fluxo financeiro ilegal – Illicit Financial Flows (IFF) – enfraquece o papel da lei e da estabilidade política de um país, sublinhou Dom Auza. “Incentiva a atividade criminosa e indica a presença de crime transnacional” e todas as atividades relacionadas à evasão fiscal e à lavagem de dinheiro.

A exploração dos recursos naturais 

Outra forma de IFF que Dom Auza destaca,  está ligada à exploração de recursos naturais pelas indústrias extrativas, que violam as leis e os limites estabelecidos para promover um uso mais sustentável do meio ambiente e dos recursos.

Quem paga “as consequências devastadoras” – explica o arcebispo em seu pronunciamento – são os mais pobres, porque esses fluxos tiram “recursos dos gastos públicos e cortam o capital disponível para investimentos privados, tiram dos países em desenvolvimento os recursos desesperadamente necessários para a prestação de serviços públicos, para financiar programas de redução da pobreza e melhoria da infraestrutura”.

Além disso, visto que os lucros  ilícitos são transferidos dos países pobres para os mais ricos, combater tal fenômeno – observou o prelado -, requer “uma colaboração internacional entre países mais desenvolvidos e aqueles em desenvolvimento”.

A redução desses fluxos, afirmou,  “é portanto um elemento essencial para apoiar a realização da Agenda 2030” pelo desenvolvimento.

O maior desafio 

Ao concluir seu pronunciamento, o Observador Permanente da Santa Sé recordou que o maior desafio é antes de tudo de caráter ético e desafia a “encontrar maneiras para permitir que todos, de se beneficiarem de maneira equitativa dos frutos da terra e da criatividade  humana”.

Fonte: vaticannews.va

Outras Postagens

6 thoughts on “Santa Sé na ONU: “Combater fluxos financeiros ilícitos, que tornam os pobres mais pobres”

  1. My partner and I stumbled over here by a different page and thought I may as
    well check things out. I like what I see so now i
    am following you. Look forward to going over
    your web page repeatedly.

  2. Pretty component to content. I just stumbled upon your
    blog and in accession capital to assert that I acquire actually loved account your blog posts.

    Any way I will be subscribing for your feeds or even I success you get right of entry to persistently fast.

  3. Heya i’m for the first time here. I came across this board
    and I to find It truly useful & it helped me out a lot.
    I’m hoping to give one thing back and help others like
    you aided me.

  4. Woah! I’m really enjoying the template/theme of this blog.
    It’s simple, yet effective. A lot of times it’s
    tough to get that “perfect balance” between user friendliness and appearance.
    I must say you have done a great job with this.

    In addition, the blog loads very quick for me on Opera.

    Excellent Blog!

Deixe uma resposta

Início