Queimadas: “Clamor por justiça ambiental; Defender a Amazônia é um imperativo para todos nós, é o compromisso com a Laudato Si”

A Fumaça de incêndios criminosos na Amazônia e no Centro-Oeste se espalha por todo o continente. Desde janeiro, foram registrados 71.497 focos de incêndio, um número 82% maior do que o mesmo período do ano passado, quando foram registrados 39.194 focos.

Uma combinação de fuligem das queimadas que ardem no Centro-Oeste e no Norte do Brasil e frente fria transformou o dia em noite na cidade de São Paulo, no ultimo dia 20. Segundo o Greempeace, nos últimos dias a água dos chamados Rios Voadores, que transportam pela atmosfera a umidade da Amazônia para todo o sul e centro-oeste do continente, foi substituída por fumaça, que chegou a ser notada nos estados de São Paulo e Paraná.

Os rios voadores, feitos de vapor de água, irrigam a maior parte do território brasileiro. Esses caminhos aéreos de umidade chegam até a Argentina, Uruguai e Paraguai. É da Amazônia que vem as chuvas que abastecem grande parte de nosso território. Em seguida, essa água se armazena nos aquíferos do Cerrado, mas que hoje estão sendo extintos pela devastação da Amazônia e do Cerrado.

Fica de uma forma triste demonstrado, a importância do Sínodo para a Amazônia, que acontecerá de 06 até 27 de Outubro, em Roma, com o tema “Novos Caminhos para a Igreja e para uma Ecologia Integral”. Defender a Amazônia, não é uma questão que diz respeito só a quem vive naquela região, composta por nove países. É um imperativo para todos nós.

Tudo está interligado, como diz o Papa Francisco na Encíclica Laudato Si. Não é mais possível camuflar, nas questões de injustiças, desigualdades e a falta de cuidado com a natureza.

“Quando falamos de «meio ambiente», fazemos referência também a uma particular relação: a relação entre a natureza e a sociedade que a habita. Isto impede-nos de considerar a natureza como algo separado de nós ou como uma mera moldura da nossa vida. Estamos incluídos nela, somos parte dela e compenetramo-nos. As razões, pelas quais um lugar se contamina, exigem uma análise do funcionamento da sociedade, da sua economia, do seu comportamento, das suas maneiras de entender a realidade. Dada a amplitude das mudanças, já não é possível encontrar uma resposta específica e independente para cada parte do problema. É fundamental buscar soluções integrais que considerem as interações dos sistemas naturais entre si e com os sistemas sociais. Não há duas crises separadas: uma ambiental e outra social; mas uma única e complexa crise sócio ambiental. As diretrizes para a solução requerem uma abordagem integral para combater a pobreza, devolver a dignidade aos excluídos e, simultaneamente, cuidar da natureza.” (Laudato Si 139)

Não podemos continuar alheios aos desmantelamento da legislação de proteção ambiental e de direitos humanos, do governo Bolsonaro. Diante de tanta irresponsabilidade , cabe a nós assumirmos um papel mais decisivo no Cuidado da Casa Comum.

Frei Rodrigo Péret, OFM
Secretário de JPIC Custodial

Outras Postagens

3 thoughts on “Queimadas: “Clamor por justiça ambiental; Defender a Amazônia é um imperativo para todos nós, é o compromisso com a Laudato Si”

  1. This is very interesting, You are a very skilled blogger.
    I have joined your rss feed and look forward
    to seeking more of your wonderful post. Also, I have shared your website in my social networks!

Deixe uma resposta

Início