Frei Almir Guimarães deixa a assistência espiritual da Ordem Franciscana Secular

O cuidado espiritual e pastoral da OFS, confiado pela Igreja à Primeira Ordem Franciscana e à TOR, é, antes de tudo, dever de seus Ministros Gerais e Provinciais. A eles compete o “altius moderamen”, de que trata o cânon 303. O altius moderamen tem como objetivo assegurar a fidelidade da OFS ao carisma franciscano, a comunhão com a Igreja e a união com a Família Franciscana, valores que representam para os franciscanos seculares um compromisso de vida (CCGG OFS art. 85, § 2)

Quando me disponho a escrever este comunicado chegam à minha mente figuras exponenciais de dois frades desta nossa Província da Imaculada: Frei Mateus Hoepers e Frei Egberto Pramenberg.

Frei Mateus, que conheci em Petrópolis, na segunda metade dos anos cinquenta, foi um confrade apaixonado pela Ordem Franciscana Secular, respeitado em todo o país. Junto com leigos, ele viveu a ventura da redação e publicação da Regra de Paulo VI. Frei Mateus, antigo Provincial e professor de exegese em Petrópolis, era incentivador e promotor de uma renovação da Ordem Terceira Secular. Penso que o pouco de franciscanismo mais profundo que conheci devo a este frade alto, vigoroso, entusiasmado por Francisco.

Frei Egberto, frade alemão de boa têmpera, ajudou a revigorar as fraternidades seculares no Estado do Rio. Muitas lideranças deste Estado foram formadas em seu vigor e ele acompanhou de perto a história do Regional do Rio. Escreveu páginas bonitas no livro da vida da OFS.

Neste ano, neste mês de março de 2017, terminei meu trabalho como assistente da Ordem I por parte dos Menores. Penso que fiquei na função mesmo treze anos, quando o correto seria um período de doze anos. Há um tempo de começar e outro de acabar. Nestes anos todos tive sempre em mente a figura dos dois confrades acima mencionados. Eles foram minha claridade, mais do que textos jurídicos frios.

Por ocasião do Capítulo Avaliativo da Ordem em Campo Largo (17 a 19 de março de 2017), senti-me no obrigação de notificar minha saída, respeitando os Estatutos, por meio de uma carta. Há ainda em meu coração um fogo que arde. Mas é preciso ser obediente. Não fiz uma declaração de renúncia. Esta palavra tem algo de pejorativo. Preferi usar o termo notificar. Anexo à presente o teor de tal notificação que li diante da assembleia capitular, procurando dominar a emoção.

Continuo sendo assistente do Regional Rio e Espírito Santo com nomeação do nosso Provincial, Frei Fidêncio Vanboemmel.

Faço votos que a OFS seja efetivamente um grupo de leigos que visita regularmente seu interior e parta em missão.

Canto um canto novo de ação de graças. Coloquei-me nas esteira de frades empreendedores e dedicadíssimos. A lembrança deles serviu de estímulo para a atividade que exerci. Faço questão de ressaltar uma frase da carta de notificação que nada tinha de renúncia de cunho polêmico: “Durante todo esse tempo respirei OFS por todos os poros”. Esta é a verdade.

Paz e todos os bens!

Petrópolis, 22 de março de 2017
Frei Almir Ribeiro Guimarães, OFM


Veja na integra a carta de renúncia do Frei Almir Guimarães, OFM: 

CARTA DE RENÚNCIA

Ao Ministro Nacional da Ordem Franciscana Secular
Vanderlei Suélio Gomes e seu Conselho

Paz e toda estima,

Através desta carta venho notificar ao Ministro e Conselho Nacional da Ordem Franciscana Secular que já expirou o tempo regulamentar de assistência espiritual à OFS nacional por minha parte, como membro da Ordem dos Frades Menores (OFM). A partir desta data, encerramento do Capítulo Avaliativo que se realizou em Campo Largo, termino minhas atividades em nível nacional na qualidade de assistente. Deverão ser tomadas, então, as providências para que a Conferência dos Menores nomeie outro frade.

No término de minhas atividades exprimo minha gratidão a todos. Muito aprendi em muitas visitas fraterno-pastorais, capítulos, encontros de formação e colaborando na confecção da revista Paz e Bem.

Procurei dedicar-me ao trabalho com todo o coração nesses mais de doze anos. Durante todo esse tempo respirei OFS por todos os poros. Há fraternidades promissoras e outras cansadas, talvez desmotivadas. Sonho com uma renovação da OFS no Brasil através do surgimento de novas e vigorosas fraternidades integradas por um laicato santo e maduro.

Penso ter feito minha parte. Que o Senhor Altíssimo tenha a bondade de completar o que faltou.

Paz e todos os bens!

Frei Almir Ribeiro Guimarães, OFM
Campo Largo, 19 de março de 2017
3º domingo da quaresma

Fonte: Franciscanos.org.br

Outras Postagens

Início