2º Dia do Encontro Continental do JPIC tratou-se sobre Biomas e Defesa da Vida

O segundo dia teve início com a celebração eucarística na capela Santa Clara. A sua localização, no cume de um morro, com paredes vazadas, revestida da simplicidade, favoreceu um momento forte de encontro com Deus e com a natureza.

Depois do café da manhã, que acompanhou o bom e indispensável pão de queijo, fomos conduzidos a sala de conferências para iniciarmos a formação. O dia todo foi dedicado para a aprendizagem acerca da saúde popular e comunitária, a utilização dos recursos naturais para a promoção da vida e o uso de plantas medicinais.

A formação foi conduzida pelo terapeuta Marcos André Zubielli, gaúcho, natural da cidade Santa Cruz do Sul, trabalha com a prevenção e o tratamento homeopático. Segundo Marcos, além da sua formação acadêmica, teve um chamado das entidades para ajudar as pessoas, pois é religioso e praticante da Umbanda. Sua área de atuação se dá na paróquia São Bonifácio, localizada em Agudo- RS e na cidade de Novo Cabrais- RS, na paróquia São Cláudio, ambas tem a presença dos frades menores da Província São Francisco de Assis. Além de atender os paroquianos, Marcos consulta as pessoas de baixa renda, entre elas trabalhadores assentados do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e pequenos agricultores.

A homeopatia é uma ciência que se utiliza dos recursos naturais, das ervas, plantas e das próprias pragas para criar os remédios fitoterápicos. Marcos defende o princípio que o semelhante cura o semelhante. Desse modo, a vida traz em si a cura da própria vida. Há princípios e energias que agem para a cura das pessoas, animais e plantas, pois todo organismo vivo traz em si um equilíbrio, que se traduz numa “vida saudável”.

Uma tese defendida por Marcos é que a saúde de uma pessoa auxilia na saúde das demais com as quais convive. Através de alguns relatos, constatou-se que a cura de um líder de pastoral ou de algum movimento social ocasionou uma melhora qualitativa em todo o grupo.

O que todos estão acostumados a fazer, quando sentem alguma dor ou algum sintoma diferente  procurar rapidamente o médico, que por sua vez, receita remédios e mais remédios. Marcos, através dos seus estudos e experimentos, demonstrou que a saúde e a qualidade de vida não dependem de tratamentos químicos, mas da harmonia do corpo, constituído de 3 elementos, espiritual, emocional e físico.

Por fim, o tratamento feito através da saúde popular e comunitária tem como objetivo, além da prevenção e combate das doenças, alcançar a independência da “máfia do jaleco branco”. Esse termo traduz a medicina alopática, que muitas vezes não tem o interesse pela cura, mas pela manutenção da doença com o intuito de manter o mercado e a indústria farmacêutica.

Equipe JPIC Custodial




 

Outras Postagens

Início