Parte III: Antologia Eucarística de São Francisco

Caro(a) irmão(ã), acompanhe conosco todas as terças-feira uma série de publicações, em cinco partes, da “Antologia Eucarística de São Francisco”, acerca dos escritos do santo, onde ele expressa seu amor e cuidado a Cristo Eucarístico. 

 Esperamos que ajude em vosso aprofundamento na Espiritualidade cristã e franciscana.

Tenha uma boa leitura e reflexão.

PAZ e BEM!

Equipe de Comunicação



Acesse à:

  Parte I  |  Parte II  



CARTA A TODA A ORDEM (12-34)

12E por isso a todos vós, irmãos, imploro no Senhor, beijando-vos os pés e com quanta caridade eu posso, que presteis toda a reverência e toda a honra que puderdes, ao santíssimo Corpo e Sangue de nosso Senhor Jesus Cristo, 13por quem tudo o que há no céu e sobre a terra foi pacificado e reconciliado (Cl 1, 20).

14Rogo ainda no Senhor a todos os meus irmãos, que são e serão e desejam ser sacerdotes do Altíssimo, que, quando quiserem celebrar missa, puros e com pureza e respeito celebrem o verdadeiro sacrifício do Corpo e Sangue de nosso Senhor Jesus Cristo, com santa e pura intenção, e não por qualquer motivo terreno, nem por temor ou consideração de qualquer pessoa, como para agradar aos homens (Ef 6, 6; Cl 3, 22). 15Mas que toda a sua vontade, tanto quanto ajude a graça do Omnipotente, a Ele dirijam, não desejando agradar senão a Ele só, que é o soberano Senhor. Porquanto neste mistério só Ele opera como lhe agrada. 16E pois Ele nos diz: Fazei isto em memória de mim (Lc 22, 19; 1Cor 11, 24), se alguém fizer de outro modo, torna-se noutro Judas traidor, réu do Corpo e Sangue do Senhor (1Cor 11, 27).

17Lembrai-vos, meus irmãos sacerdotes, do que está escrito acerca da lei de Moisés: os que a transgrediam, mesmo nas coisas corporais, sem qualquer comiseração eram punidos de morte (Heb 10, 28), por sentença do Senhor. 18Quão maiores e mais terríveis suplícios merece sofrer quem calca aos pés o Filho de Deus e ousa profanar o sangue do Testamento, com que foi santificado, e ultraja o espírito da graça? (Heb 10, 29). 19O homem, de facto, despreza, profana e calca aos pés o Cordeiro de Deus, quando, como diz o Apóstolo, não discernindo (1Cor 11, 29) e distinguindo o pão santo de Cristo dos outros alimentos ou das outras obras, ou o come sendo indigno, ou mesmo, sendo digno, o come de modo vão e indigno, quando é verdade que o Senhor diz pelo Profeta: Maldito o homem que faz a obra do Senhor com hipocrisia (Jr 48, 10). 20E aos sacerdotes que se recusam a gravar deveras estas coisas sobre o coração, condená-los-á o Senhor, que diz: Amaldiçoarei as vossas bênçãos (Ml 2, 2).

21Ouvi, irmãos meus: Se a bem-aventurada Virgem Maria é honrada, como é de justiça, porque trouxe ao mesmo Senhor em suas santíssimas entranhas, se o bem-aventurado Baptista tremeu e não ousou tocar a cabeça sagrada do seu Deus, se é venerado o sepulcro no qual por algum tempo ele jazeu, 22que santidade, justiça e dignidade não se

requer naquele que trata com suas mãos, recebe no coração e na boca, e distribui aos outros, como alimento, Aquele que já, agora, não morre, mas vive eternamente glorioso, o Cristo, a quem os anjos desejam contemplar? (1Pe 1, 2).

23Vede a vossa dignidade, irmãos sacerdotes, e sede santos, porque também ele é santo (Lv 19, 2). 24E, como por motivo deste mistério, o Senhor mais que a todos vos honrou, assim vós amai-o, reverenciai-o e honrai-o mais que todos. 25Oh! miséria grande, oh! miseranda fraqueza, terde-lo vós assim presente, e ocupardes-vos de qualquer outra coisa do mundo!

26Que o homem todo se espante, que o mundo todo trema, que o céu exulte, quando sobre o altar, nas mãos do sacerdote, está Cristo, o Filho de Deus vivo! (Jo 11, 27).

27Oh! grandeza admirável, oh! condescendência assombrosa, oh! humildade sublime, oh! sublimidade humilde, que o Senhor de todo o universo, Deus e Filho de Deus, se humilde a ponto de se esconder, para nossa salvação, nas aparências de um bocado de pão.

28Vede, irmãos, a humildade de Deus e derramai diante dele os vossos corações (Sl 61, 9); humilhai-vos também vós, para que ele vos exalte (1Pe 5, 6; Tg 4, 10).

29Em conclusão: nada de vós mesmos retenhais para vós, a fim de que totalmente vos possua aquele que totalmente a vós se dá.

30Por isso, admoesto e exorto no Senhor, que nos lugares onde moram os irmãos, uma só missa se celebre cada dia, segundo a forma da santa Igreja. 31E nos lugares em que houver vários sacerdotes, por amor de caridade, contentem-se os outros com ouvir a missa daquele que celebra; 32porque aos que celebram, como aos que não celebram, desde que sejam dignos, o Senhor Jesus Cristo os cumula de graças. 33O qual, ainda que o vemos em diversos lugares, todavia permanece indivisível e sem de modo nenhum se fragmentar, mas sempre Um em toda a parte, opera como lhe apraz, com o Senhor Deus Pai e o Espírito Santo, por séculos de séculos, Amém.

34Depois, porque quem é de Deus, ouve as palavras de Deus (Jo 8, 47), devemos em consequência, nós, os que mais especialmente somos incumbidos dos ofícios divinos, não só ouvir e fazer o que Deus diz, mas ainda, para mais nos compenetrarmos da grandeza do nosso Criador e da nossa sujeição a ele, guardar com cuidado e reverência os vasos sagrados e os livros que servem nos ofícios e contêm as suas santas palavras. 35E, por isso, admoesto a todos os meus irmãos e os exorto em Cristo a que, onde quer que encontrem escritos com suas divinas palavras, os venerem o melhor que possam, 36e,

quanto a eles respeita, se não andam bem guardados ou estão em qualquer lugar menos digno, os recolham e coloquem em lugar decente, honrando nas palavras o Senhor que as proferiu. 37Porque muitas coisas são santificadas pelas palavras de Deus (1Tm 4, 5), e é em virtude das palavras de Cristo que se realiza o sacramento do altar.

PARÁFRASE DO PAI-NOSSO (6)

6O pão nosso de cada dia, o teu dileto Filho nosso Senhor Jesus Cristo, nos dá hoje, para memória, e inteligência e reverência do amor que nos teve, e de quanto por nós disse, fez e suportou.

Outras Postagens

Início