Frades integram “Sétima Turma do Curso de Fé e Política”

“A política é demasiado suja, mas é suja porque os cristãos não se meteram nela com o espírito evangélico”. (Papa Francisco)

Aconteceu nas dependências do Centro Cultural Missionário, em Brasília/DF, o curso Fé e Política, com a formação da sétima turma. O curso oferecido pelo Centro de Fé e Política “Dom Hélder Câmara”- CEFEP – que por sua vez é ligado a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB. Tem a duração de dois anos, organizado em duas etapas presenciais de quinze dias cada etapa. Os alunos também estudam algumas matérias à distância, complementado a grade curricular.

A sétima turma (2018-2019) conta com mais de 50 alunos provenientes de 16 estados brasileiros e um aluno da Genebra – Suíça. Os cursistas são, na sua maioria, participantes de escolas de fé e política locais, militantes de partidos políticos e de movimentos sociais. A turma também conta com a participação de um Pastor e uma irmã da Igreja Batista, um Sacerdote Católico e três Frades Franciscanos Menores.

O CEFEP oferece para a Igreja do Brasil e para a sociedade uma sólida formação política à luz do Evangelho e da Doutrina Social da Igreja. Tem a intenção de formar lideranças políticas e sociais que atuem nas bases democráticas interpelados pela justiça e verdade.

Os alunos tiveram como fonte inspiratória a disciplina de Fé e Política na Bíblia. A partir da Palavra de Deus, da história do povo de Israel, dos ensinamentos de Jesus Cristo e da vida das comunidades primitivas, os alunos são instruídos a se posicionarem como pessoas de fé frente aos desafios da política.

Há uma constatação de que o sistema político está muito ferido e desacreditado, para uma grande parte da sociedade. Em contraponto, o CEFEP, além de formar seus alunos, fomenta a esperança de se fazer uma política que seja instrumento de transformação e de promoção humana.

Nesse sentido, o Papa Francisco vem incentivando os cristãos a se colocarem dentro da política, “envolver-se na política é uma obrigação para um cristão” e que os mesmos não podem “fazer como Pilatos, lavar as mãos: Devemos implicar-nos na política, porque a política é uma das formas mais elevadas da caridade, visto que procura o bem comum”, atesta o papa.

Assim, diante da utopia da implantação do Reino de justiça, Igualdade e Fraternidade e impulsionados pelo vigor profético do Papa Francisco, os cursistas se empenham em serem promotores e defensores da política democrática e da paz.

Frei Eduardo Schiehl, OFM


Carta de Dom Frei Severino, Coordenador do Curso “Fé e Política”, para a 7ª Turma do CEFEP

Paz e Bem!

Gostaria que transmitissem a todos os colaboradores e alunos da nova turma do CEFEP, a minha carinhosa saudação e votos de êxito, nesse curso.

Digo-vos, se vossa justiça não for maior que a dos escribas e fariseus, não entrareis no Reino dos céus. (Mt 5,20).

Com esse alerta de Jesus aos apóstolos e a todos os cristãos, a Comissão Episcopal de Pastoral, através do CEFEP, CEBs e CNLB fomenta a esperança e o desejo de preparar pessoas de boa vontade para assumir a administração da coisa pública, no mundo da política. Sem esses homens e mulheres de boa vontade não teremos paz e progresso na nossa querida e machucada nação. Administrar e cuidar do Estado, em todas as suas instâncias, exige conhecimento, partilha, proximidade, honestidade e habilidade com muito esforço e abnegação.

Impossibilitado de estar aí e ver o rosto de todos os participantes dessa nova turma do CEFEP, me faço presente dessa forma, externando o meu apreço, carinho e gratidão por tantas pessoas de boa vontade que se interessam em adquirir o conhecimento para poder militar com maturidade no mundo da política. Dentro do Ano Nacional do Laicato, queremos dar ênfase ao papel dos cristãos leigos e leigas na política. “Entrar na política é uma obrigação. Na política não se pode fazer como Pilatos, lavar as próprias mãos. A política é uma das maiores formas de caridade. É um dever trabalhar para o bem comum” (Papa Francisco).

Que o Espírito Santo ilumine os tutores e dê ânimo à coordenação e colaboradores e encha de coragem e entusiasmo a todos os alunos e alunas desse curso. Não se deixem abater pelo desânimo, mas revigorados pela força e calor do Espírito Santo, pelos ensinamentos da Doutrina Social da Igreja, daremos continuidade aos sonhos de construir um mundo melhor, democrático, fraterno, acolhedor e justo.

Temos o Reino da justiça que nos acolhe e somente fará parte quem construir a justiça nesse mundo.

Deus abençoe a todos.

Com carinho meu fraterno abraço!

Dom Frei Severino Clasen, OFM

Bispo de Caçador

Presidente da Comissão Episcopal de Pastoral para o Laicato


Carta resposta da 7ª Turma do CEFEP a Dom Frei Severino Clasen, OFM

Querido irmão em Cristo, Dom Frei Severino Clasen, PAZ e BEM!

Nós que compomos a 7ª Turma do Curso de Fé e Política do CEFEP, provenientes de diversos estados (16) desse querido e amado Brasil, vos saudamos com Paz, Bem e toda “Alegria do Evangelho”. Mencionamos e externamos nossa gratidão a maravilhosa participação e convivência com os nossos dois irmãos oriundos da Igreja Batista. Isso intensifica mais a nossa comunhão ecumênica, bem como nossa luta pela construção de um Reino de Justiça, Fraternidade e Igualdade.

Com uma dinamicidade que nos permeou durante alguns dias (14 a 27 de janeiro), fomos exortados e imbuídos pelo Espírito para acolhermos o novo, o diferente e as surpresas que nos acorrem e que povoam nossa História. Assim, fomentou em cada um de nós o desejo da partilha e, sobretudo, da multiplicação do que assimilamos do todo, dentro da vivência do CEFEP.

Dessa forma, além do todo que adquirimos nesse período e motivados pelo desejo do Evangelho e, também, do Papa Francisco, que diz: “quero uma Igreja pobre, para os pobres, com os pobres e em saída, que vá ao encontro das periferias existenciais”. Queremos, portanto, fazer jus a este convite e aproveitar o ensejo para colocar em prática o “Ano do Laicato” que nos inspira a sermos “sal da terra e luz do mundo” (cf. Mt 5, 13-14). Na certeza de que juntos lutaremos nas nossas Bases, Comunidades, Pastorais, Igrejas e por onde formos promovendo o bem comum.

Desejamos que o Nosso Pai Seráfico São Francisco, interceda por cada um de nós, para que não perca de vista a extraordinária capacidade de descobrir o irmão e através dele, o Cristo que em várias situações de morte e desumanização, com as misérias do mundo, sofre nas várias facetas do sistema capitalista, venha deformar as feições humanas.

O Senhor vos dê a paz!

Frei Carlos Eduardo de Sousa, OFM

Frei Suelton Costa de Oliveira, OFM

Brasília, 27 de janeiro de 2018.




 

Outras Postagens

Início