CPO inicia a semana com Lectio Divina

O clima fresco e nebuloso proporcionou o cenário perfeito para a Lectio Divina – uma leitura reflexiva das Escrituras -, foi quando a segunda semana do Conselho Plenário da Ordem começou,  tendo como foco o discernimento.

Frei Isauro Covili, OFM, um dos moderadores, explicou que a Lectio Divina havia sido agendada em resposta ao pedido dos participantes, que haviam solicitado que a segunda fase do CPO abrisse com uma sessão mais contemplativa. Trouxe uma mudança muito bem-vinda, permitindo que os membros do Conselho adotassem uma postura reflexiva em relação aos temas tratados na segunda semana. Esses temas levarão à formulação de diretrizes e uma direção para os próximos três anos da vida da Ordem.

Frei Juan Isidro Aldana, OFM conduziu uma leitura reflexiva de uma passagem do livro do Apocalipse que é o texto fundamental do CPO (Apocalipse 2: 1-7). Em sua contribuição, muito apreciada, exortou os frades a voltar àquele momento em que se apaixonaram primeiro por Jesus e decidiram segui-lo no estilo de vida franciscano.

Frei Juan também fez algumas perguntas para os frades levarem consigo durante um longo período de silêncio e reflexão individual, após, celebraram a Eucaristia em seus grupos linguísticos. Estas questões foram baseadas em: olhar para o passado com gratidão, o presente com paixão e o futuro com esperança. Eles perguntaram se os atuais ministérios da Ordem ainda refletem nossa paixão e desejo de servir às pessoas através da partilha de suas alegrias e tristezas. Como olhamos para o futuro com esperança, dadas as dificuldades que a Vida Religiosa enfrenta? Algumas das muitas questões que ameaçam nossa esperança são: diminuição das vocações e dos membros que estão envelhecendo, os problemas financeiros, o relativismo, a sensação de isolamento.

Os frades sentiram o benefício de uma intensa manhã de contemplação individual, partilha de oração e uma sensação real de que o Espírito Santo está se movendo poderosamente na reunião.

Fonte: ofm.org


Crônicas do 4º e 5º dia do CPO

CPO 4º Dia, sábado, 16 de junho

Uma nova sessão de trabalho começou da melhor maneira possível depois da oração da manhã e da celebração da Eucaristia. Depois do café da manhã, os frades da Conferência da África relataram a diversidade e a ampla realidade em que vivem e trabalham. Províncias franciscanas que se estendem por oito países, a complexidade na riqueza da diversidade de etnias, línguas e dialetos, diferentes realidades sócio-políticas e econômicas … Todas elas apresentam uma face do franciscanismo africano tão diversa que chamou a atenção de todos os presentes na Assembléia. Uma das declarações que mais provocaram curiosidade e questionamentos foi a afirmação “Devemos formar um caráter sólido e adequado antes de fingir que aqueles que se juntam a nós podem assumir e personalizar os valores evangélicos franciscanos”. Tempos difíceisfazer exigências às pessoas, parafraseando Santa Teresa de Jesus, referindo-se ao franciscano São Pedro de Alcántara.

Depois de uma pausa, foi a vez da conferência “brasileira”. Como na Conferência anterior, fomos novamente apresentados a uma vasta área, uma população muito diversa e enorme para cuidar e uma realidade social na qual a injustiça social e a má distribuição da riqueza estão presentes. Um breve, mas interessante, relatório sobre o “Projeto Amazônia”, seguido de perguntas concluídas nesta sessão.

Depois de um intervalo, a Assembléia teve um longo período para discutir o que foi ouvido em todas as Conferências da Ordem – nunca há tempo suficiente em que o que ouvimos toca tanto a todos. Pudemos ver como, apesar da diversidade dentro da “fraternidade universal” de nossa Ordem, existem denominadores comuns nos “desafios” e no “perfil ambiental” que podem ser analisados ​​para nos ajudar a saber onde e como tomar novos caminhos ou abandonar outros não tão novos. Estes incluem: secularização, jovens que estão desorientados e desconectados da realidade social, crise familiar, diminuição da natalidade, crise da economia e exploração excessiva dos recursos naturais, destruição do meio ambiente,… As palavras do Papa Francisco de “Laudato Si” ”Estavam presentes durante toda a manhã. A partir desta análise exaustiva,

Após o almoço, o resto da tarde foi reservado para descanso, reflexão pessoal e oração, até as 19 horas, quando nos reunimos novamente para a oração da noite, jantar e um tempo de fraternidade e recreação muito necessária.

CPO 5º Dia, sábado, 17 de junho

Domingo, o dia do Senhor. Um dia para celebrar a centralidade de Sua presença entre nós, nos apoiando e nos desafiando a cada dia. A maioria dos frades que trabalhavam no CPO foram enviados a diferentes paróquias de Nairobi para compartilhar a celebração da Eucaristia com as pessoas que nos acolheram em suas terras. Quando voltamos, todos expressamos admiração e alegria por termos participado de uma liturgia alegre, alegre e cheia da beleza de Deus, expressa pelos fiéis com canções e danças únicas.

Às 3 da tarde, um bom número de frades passou algumas horas visitando um parque natural de girafas. Uma experiência impressionante para poder ver e até mesmo tocar em animais tão grandes e lindos de perto. Pouco depois das 7:00 da noite nós compartilhamos o jantar e um momento de relaxamento em frente à televisão, aproveitando a emoção do esporte.

Fonte: ofm.org





 

Outras Postagens

Início